Porque ser físico teórico está valendo 3 milhões de dólares…

Se você é um bilionário e tem uns milhões sobrando, o que você faria?

Bom, o russo Yuri Milner resolveu criar a Fundamental Physics Prize Foundation e premiar com 3 milhões de dólares 9 físico teóricos.

Milner estudou física teórica na Universidade Estadual de Moscou e  graduou-se em 1985.  Enquanto trabalhava na sua tese de doutorado na área de física de partículas, resolveu abandonar tudo e passou a atuar na área financeira, ganhando bilhões investindo em empresas como o Facebook, Twitter, Groupon, entre outras.

Na semana passada, ele anunciou os vencedores do prêmio Milner que foram escolhidos por ele mesmo e que ficaram 3 milhões mais ricos. São eles:

  • Nima Arkani-Hamed, de Princeton. Teve trabalhos importantes na área de física de partículas, estudando dimensões extra universais, novas teorias para o bóson de Higgs, trabalhos com supersimetria e matéria escura.
  • Alan Guth, do MIT. Inventor da teoria da inflação na cosmologia, possui diversos trabalhos importantes nessa área.
  • Alexis Kitaev, do Caltech. Teve ideias inovadoras na área de computação quântica.
  • Maxim Kontsevich, do Institute of Advanced Scientific Studies. Teve contribuições importantes na interação entre a matemática e a física teórica.
  • Andrei Linde, de Stanford. Desenvolveu a teoria da inflação e possui trabalhos em teoria de cordas.
  • Juan Maldacena, de Princeton. Ficou famoso principalmente por ter desenvolvido uma conjectura (chamada de conjectura de Maldacena ou correspondência AdS/CFT) que ofereceu novos entendimentos da relação entre teoria quântica de campos e a  gravitação
  • Nathan Seiberg, de Princeton. Trabalhou principalmente com teoria das cordas, em especial sua relação com geometrias não-comutativas
  • Ashoke Sen, do Harish-Chandra Research Institute. Também atua na área de teoria das cordas, com contribuições a aplicações dessa teoria em cosmologia.
  • Edward Witten, de Princeton. Teve contribuições em física de partículas, teoria das cordas, no problema da matéria escura e muitas outras. É considerado um dos maiores físicos teóricos no planeta e o único físico da história a ganha a medalha Fields, o equivalente ao Nobel da matemática.

No futuro, o prêmio vai ter duas categorias: prêmios de 3 milhões de dólares para cientistas mais experientes e prêmios de 100 mil dólares para cientistas jovens. Além disso, a decisão será tomada por uma comissão, formada por ganhadores de anos anteriores.

A grande diferença desse prêmio para o Nobel (além do valor – o Nobel é de 1.1 milhão de dólares) é que o último tem o hábito de esperar que a teoria seja compravada experimentalmente o que como vemos com o Higgs pode demorar 40 anos ou até mais. Inclusive muito se fala de certas pessoas que teriam ganho o Nobel mas já haviam morrido quando da comprovação da teoria.

Mas sem dúvidas o “Nobel russo” é um estímulo e tanto para os cientistas. A física teórica em geral é deixada de lado por não ter aplicações diretas. Mas os trabalhos fundamentais fazem a ciência avançar e muitas vezes trazem aplicações inesperadas. A relatividade geral é um exemplo. Desenvolvida por Einstein em 1916, foi feita para estudar fenômenos de escala do sistema solar ao do universo. Uma das suas previsões é a existência de buracos negros. Parece estar muito distante do nosso dia-a-dia mas é a mesma teoria que hoje permite o funcionamento do GPS (sistema de posicionamento global).

De qualquer forma, esse prêmio (assim como esse humilde blog) tenta nos fazer perceber a importância da ciência, mesmo que esta não esteja tão próxima do nosso cotidiano. Cabe esperar para ver qual será o impacto do prêmio para os físicos e para a comunidade em geral.

Referências:

  • The Guardian (Biggest science prize takes web tycoon from social networks to string theory)
  • The New York Times (9 Scientists Receive a New Physics Prize)
Anúncios