O Higgs e os Métodos Contraceptivos

Algumas semanas atrás eu discuti uma notícia da Folha sobre um comportamento anômalo do Higgs que está sendo investigado por alguns físicos teóricos, inclusive um pesquisador da USP, como um possível indício de física além do modelo padrão.

Vamos lembrar do que se trata tal anomalia. O bóson de Higgs tem diversas propriedades que devem ser bem determinadas experimentalmente antes de podemos cravar que a partícula encontrada no LHC no dia 4 de Julho é mesmo o Higgs. Infelizmente ainda temos poucos dados e hoje só podemos atestar com confiança duas informações: os modos como o Higgs é produzido nas colisões e os modos em que ele decai em partículas conhecidas que podemos detectar.

A anomalia aparente nos dados do LHC aparece em um modo de produção e em um modo de decaimento. Vamos a eles. Um dos modos de produção do Higgs nas colisões é pela fusão de dois gluons (os gluons são as partículas que transmitem a força forte) formando um bóson de Higgs. Um modo de decaimento é quando o Higgs se transforma em dois fótons (o fótons é a partícula que transmite a força eletromagnética). O problema é que segundo os dados do LHC parece que a produção por dois gluons está muito abaixo do esperado e o decaimento em dois fótons muito maior. Quando eu digo muito maior quero dizer que segundo os dados a chance de isso ser apenas uma flutuação estatística é de mais ou menos 5% (o que o pessoal costuma chamar isso de 2 sigmas).

5% é bem pouco né? A título de comparação as estatísticas usuais apontam que a chance de gravidez para mulheres que tomam pílula anticonceptional é de 3% a 8%. Você confia na pílua né? Talvez por isso que muitas pessoas estejam convencidas de que isso pode ser um sinal de que ou esse não é o Higgs que estávamos procurando ou que existem mais coisas que não conheçemos.

Hoje encontrei um artigo interessante sobre as discrepâncias. Ele aponta o fato de que esses modos anômalos são justamente os mais complicados, aqueles nos quais não temos muita certeza que somos capazes de calcular com precisão os valores teóricos. Quando levamos em consideração a nossa ignorância da teoria a probabilidade da discrepância ser apenas uma flutuação estatística é de mais de 30%. Quanto é 30%? Bom a eficiência do coito interrompido é de 27%. Você confia nesse “método contraceptivo”?

Enfim, só para que fique claro que as únicas pessoas que acham que tem alguma coisa séria de estranho nos dados do LHC sobre o Higgs são aquelas que acham que camisinha e pílula são irrelevantes, afinal sempre dá pra tirar antes né?

Anúncios