É mais fácil achar alienígenas ou um(a) namorado(a)?

O dia dos namorados está chegando e pra você que tá xingando os casais felizes e se preparando para encher a cara sozinho no dia 12 de junho, não fique deprimido. Vou tentar mostrar que existe luz no fim do túnel.

A equação de Drake foi proposta em 1961 por Frank Drake com o objetivo de estimar o número de possíveis civilizações inteligentes na nossa galáxia que teríamos alguma chance de fazer contato (calma, não desista de ler o texto que eu prometo chegar na parte do amor!). A ideia é simples: você multiplica algumas variáveis que são relevantes para o problema e você consegue uma ordem de grandeza para o número de civilizações extraterrestres. A equação de Drake é escrita como:

eq2

onde N é número de civilizações extraterrestres em nossa galáxia que é possível fazer contato, R^{*} é a taxa de formação de estrelas em nossa galáxia, f_p éa fração de estrelas que possuem planetas em órbita, n_e é o número médio de planetas que permitem o desenvolvimento de vida, f_l é a fração desses planetas que podem desenvolver vida inteligente, f_c é a fração dos planetas que desenvolve vida inteligente e tem meios para fazer contato e L o tempo esperado de vida de tal civilização.

Com a estimativa/chute desses fatores, Drake encontrou que existiriam  N ~10 000 possíveis civilizações inteligentes com capacidade de estabelecer contato, o que é algo como 0.000003% das estrelas da nossa galáxia.

Mas aí veio um cara chamado Peter Backus  com a brilhante ideia de aplicar a equação de Drake para calcular a chance dele encontrar uma namorada. Sim, você leu certo. E o melhor é a frase que está no artigo dele:

“While extraterrestrial civilizations may be rare there is something that is seemingly rarer still: a girlfriend. For me.”

Agora faz sentido como o Kirk pegava tantas!

Agora faz sentido como o Kirk pegava tantas!

Para Backus, N é o número de potenciais namoradas,R é a taxa de crescimento da população do país, f_w é a fração de mulheres, f_l é a fração de mulheres que vive na mesma cidade que ele, f_a é a fração de mulheres com a idade adequada, f_u é a fração das mulheres com ensino superior (ele é exigente), f_b é a fração dessas mulheres que são atraentes pra ele e L o tempo em anos em que é possível ele encontrar uma potencial namorada. Por fim, ele ainda faz uns cortes como acrescentar a fração dessas mulheres que também o achariam atraente, quantas estão solteiras, etc.

O resultado é 26. Sério mesmo.

A chance de encontrar uma dessas pessoas especiais é 0.00034% (algo como 1 em 285 000), o que ainda é 100 vezes melhor do que achar uma civilização extraterrestre com capacidade de estabelecer contato.

A equação de Backus fez tanto sucesso que até apareceu em um episódio de The Big Bang Theory:

Ele termina o artigo dizendo:

“Make of this what you will. It might cheer you up, it might depress you. I guess it depends on what you thought your chances were before reading this.”

Mas calma que agora vou te animar. Apesar dos números serem assustadores o Backus vai casar essa semana (ele deu uma entrevista aqui), olha que fofo! Por isso amigos e amigas, ignorem sempre que falarem que encontraram uma fórmula pro amor. No final tudo que eu posso te desejar é boa sorte.

Anúncios